GENTE SIMPLES

Sou tão inspirado por pessoas que decidi começar a partilhar aqui no blog pessoas que me inspiram.

Gosto de gente simples. Gosto. Quando digo simples, é simples mesmo. Não é aquele “simples” de casinha pequena, ou de conta bancária modesta ou de profissão com ordenado mínimo. E não é aquele “simples” fajuto com aquele toque azedo de falsa modéstia de quem tem tudo. É aquele “simples” daquelas pessoas que são genuínas, que estão de bem com a vida. Que nos recebem porque gostam de receber, que dão porque gostam de dar, que partilham porque gostam de partilhar, que não tentam provar nada a ninguém porque não têm nada a provar. São simples, quer caiam de ricos, quer não tenham onde cair mortos.

Gosto de gente assim. São as minhas pessoas preferidas no mundo. Talvez porque o meu avô era assim. Mas isto não é sobre o meu avô desta vez. É sobre três irmãos que são simples assim como eu gosto. Quando era miúdo, haviam 3 surfistas irmãos americanos que eu admirava. Eram dos meus preferidos. Via-os nas revistas e nos vídeos. Antes do tempo da internet. Na altura eram surfistas profissionais como os outros. Competiam, ganhavam algumas vezes, ganharam alguns títulos nacionais, eram patrocinados, enfim, surfistas pros como tantos outros. Mas já na altura havia qualquer coisa de diferente neles. Havia um carisma neles que outros não tinham. Daquilo que eu via e lia, parecia que olhavam para as coisas de maneira diferente. E eu miúdo olhava para eles e revia-me naquela maneira de ser e estar. Sou mais ou menos da mesma idade, e portanto da mesma geração, e apesar de nunca os ter conhecido pessoalmente continuo hoje a rever-me na forma como eles abraçam a vida.

A simplicidade dos irmãos Malloy é contagiante. Dan, Chris e Keith. Eles são gajos DIY antes de DIY ser DIY. Percorreram a costa californiana até Baja de paddleboard antes de se chamar SUP e ser a moda que é hoje. Saltaram fora do patrocínio da Hurley e passaram a ser patrocindos pela Patagonia (na altura uma marca mais ligada ao montanhismo) porque se fartaram do circo que o surf se tinha tornado. Preocupados com a natureza, não se consideram activistas, apenas pessoas a fazerem a sua parte para deixar o mundo melhor. Um deles transformou a carrinha para que ela funcione a óleo vegetal em vez de gasolina. Outro fez a costa californiana de bicicleta com pranchas atreladas durante 2 meses. Realizadores, fotógrafos, aventureiros, contadores de histórias. Tanto surfam meio-metro como 10 metros. Tanto surfam na Antártida como em Fiji. Fazem um pouco de tudo. Criativos, humildes e simples. Autênticos. Family men. Quando os ouço falar do pai e a influência que teve na vida deles, gosto de pensar que um dia o meu filho vai falar assim. Dan Malloy diz “it’s amazing how much one person can influence you“. Espero que a minha influência no meu filho o faça um bom ser humano. Uma boa pessoa. Uma pessoa simples. Aquele simples que eu gosto. Faz falta mais gente assim. No surf e fora dele.

Fica o vídeo. Inspirem.

Anúncios

3 thoughts on “GENTE SIMPLES

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s